Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

S na Rede

S na Rede

09
Dez18

A L'Éclair tem uma nova loja no Campo das Cebolas.


A L'Éclair abriu uma nova loja, desta vez no Campo das Cebolas, em Lisboa. Esta nova loja, a terceira da marca, abriu a 27 de setembro e na sua montra podem ser vistos alguns dos éclairs que fazem parte da coleção Outono-Inverno. Prepare-se para ficar com água na boca!

Depois do corner no Time Out Mercado da Ribeira ou na loja do Saldanha, a L'Éclair abriu um novo espaço, desta vez na rua dos Bacalhoeiros, no Campo das Cebolas. Esta nova loja abriu a 27 de setembro e na sua montra podem ser vistos os éclairs que fazem parte da coleção Outono-Inverno, como é o caso dos sabores a Banoffee ou Cookie&Cream.
Outros dos sabores que aqui podem encontrar são o de limão com yuzu; baunilha de Madagáscar com nozes pecan e doce de framboesa; tiramisú; nougat ou o  Paris-Brest, recheado com um creme de amêndoas e avelãs e biscuit florentin de amêndoas.
Esta loja vai contar, a partir de hoje, com um menu de pequenos-almoços com vários tipos de ovos mexidos servidos em massa choux, ovos mexidos servidos de forma diferentes, brioche com ovo cocotte, croissant misto gratinado com molho béchamel ou a tradicional massa do éclair.
Mas os éclairs também pode
m servir para um belo e doce almoço. Isto porque há éclairs com magret de pato e mousse de foie gras; salmão fumado e lima; camarão, abacate ou presunto. Inúmeros são os sabores de éclairs para provar e repetir.

De: Andreia Rodrigues (publicado em "Mood Magazine").
07
Dez18

Música Ucraniana e Australiana no El Bulo Social Club.


O El Bulo Social Club, do chef Chackal, é muito mais do que um restaurante. Este espaço de Marvilla é o local ideal para uma troca de culturas. Pelo palco do Schweppes Live Stage vai passar, no dia 15 de Dezembro às 20:30, o australiano Ben Salter. Este concerto integra a sua 2018 "International Madness Tour".
A 18 de Dezembro, na mesma hora, será a vez de Jerry Springle, artista e performer ucraniana, que traz até Marvilla os sons doces do Ukulele e da Kalimba.
Já em 2019, e para iniciar o ano ao som de boa música, um regresso: Sergey Onischenko volta a Marvila com o seu projecto "Make Like a Tree", no dia 03 de Janeiro de 2019, às 20:30.

De: FG.


29
Nov18

"Os Super Saudáveis" ganharam prémio.


O projecto "Os Super Saudáveis", que é uma criação da LOLA NormaJean e da Liga Portuguesa contra o Cancro, foi premiado pela Food & Nutrition Awards (FNA).
Sobre este projecto e sobre o prémio que acabam de receber, Rodrigo Silva Gomes, CEO da Normajean, comenta que “este foi um conceito cujo desenvolvimento nos deu imensa satisfação. É um enorme orgulho ver esta ideia materializada e saber que ajudámos a construir uma sociedade com hábitos mais saudáveis. O prémio concedido à iniciativa pela FNA veio reafirmar ainda mais o seu valor”.
Esta iniciativa, que foi criada com o propósito de promover uma alimentação e estilo de vida mais saudáveis entre as crianças do 1º ciclo do ensino básico, tem um conjunto de cartas que podem ser colecionáveis.

De: FG.

28
Nov18

The Food Villa em Marvila.


Nos dias 30 de Novembro e 01, 02, 07, 08 e 09 de Dezembro, o concelho de Marvila, em Lisboa, vai receber o The Food Villa. Este pop-up market vai juntar gastronomia, food trucks com propostas variadas, vinho de vários pontos do país e cerveja artesanal. O embaixador, e um dos chefs que vai marcar presença neste evento será Chakall.

De: FG.

26
Nov18

Alguma vez pensou comer insetos?


Para a cultura ocidental ainda é pouco estranho falar sobre insetos comestíveis mas a verdade é que estes trazem alguns benefícios para a saúde e podem ser a chave para a nossa alimentação do futuro. Com cada vez mais pessoas no mundo, há quem acredite que corremos o risco de não haver alimentos suficientes para todos. Mas os insetos podem ter um papel muito importante para esta situação.

Já pensou em comer muffins, bolachas, hambúrgueres ou pão feito de insetos (que já se encontram à venda na Finlândia)? Se não, pense outra vez. Isto porque os insetos, devido ao seu valor nutricional e à facilidade de produção, começam a ser vistos cada vez mais como parte da alimentação em inúmeras culturas do mundo. Estes podem ser consumidos transformados em outros produtos, moídos em farinha ou fritos, ou como se de batatas fritas se tratassem.
Os insetos, que podem ser vistos como um complemento aqueles que estão fartos de consumir carne, são bastante populares em inúmeros países orientais mas aos poucos começam a ganhar o seu espaço nas culturas ocidentais, e em parte acontece devido ao seu baixo custo de produção, ao contrário dos elevados custos, estes não são económicos mas também ambientais, que a produção pecuária traz.
Produzir insetos acarreta um menor uso de espaço ou uma menor libertação de gases com efeito de estufa.
Devido a tudo isto, já existem várias portuguesas (e não só) que estão a apostar na produção de insectos. Uma das empresas que está neste mercado é a Portugal Bugs. Esta empresa nasceu a partir de um projeto universitário na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Tudo começou com uma simples barra feita de farinha de inseto (que foi recentemente premiada) chegou ao mundo dos negócios e desde então esta empresa já desenvolveu inúmeros produtos alimentares à base de insetos e também tem havido uma aposta na criação dos mesmos.
«Ambos os fundadores têm formação em engenharia alimentar e estamos cientes que o aumento esperado para a população mundial, irá colocar o setor agro-alimentar que conhecemos atualmente sobre uma grande pressão, e essa pressão tornar-se-á insuportável caso não se encontrem alternativas proteicas mais sustentáveis. Desta forma acreditamos que os insetos vão desempenhar um papel importantíssimo, conseguindo fornecer à população, não só uma alternativa proteica rica em nutrientes e aminoácidos essenciais, mas também vão conseguir fazer com que consigamos produzir proteína de forma mais sustentável, não utilizando diretamente os nossos recursos hídricos, bem como sendo capazes de reduzir a necessidade de se utilizar grandes áreas de exploração para se criar proteína», como explica Guilherme Pereiras, da Portugal Bugs, sobre a aposta no mercado dos insetos, que está cada vez mais em expansão.
Já existem inúmeros produtos feitos com insetos (especialmente moídos) no mercado mas a maioria das pessoas ainda desconhece a existência deste tipo de alimentos.
Para os europeus pode ser estranho o consumo dos mesmos mas a verdade é que os europeus primitivos consumiam insetos. Este hábito foi perdido com os tempos e agora inúmeras empresas europeias pretendem recuperar esta tradição. E a re-implementação dos mesmos na alimentação europeia deverá ser feita através de patês, bolachas, massas, barras de proteínas ou bases de pizza.
Mas para os produtos feitos com insectos sejam comercializados, é necessário alterar a lei alimentar e alguns países, como a Suécia, estão a alterar as suas leis para poderem ter estes alimentos nas prateleiras do supermercado.
«De momento existe legislação que regula a colocação de insetos no mercado para alimentação humana, sendo necessário um enumero número de testes para que seja demonstrado que os insetos não apresentam qualquer risco para o consumidor», diz Guilherme Pereiras sobre a lei que regula empresas como a Portugal Bugs, que tem sede em Matosinhos.
O Reg. 2283/15 da União Europeia, que data de 2015, regula os alimentos e as empresas que trabalham nesta área. Um dos artigos deste regulamento permite novos alimentos ou práticas alimentares, desde que estas não coloquem em causa a saúde humana. Mas para cada um destes uma destas espécies necessita de um processo de avaliação que comprove que não são nocivos para a saúde humana. Só que este processo de autorização é moroso e pode não ser economicamente viável para as pequenas e médias empresas.
Os insetos têm um alto valor nutritivo e trazem ganhos para a sua saúde, pois são uma boa fonte de nutrientes, proteínas, vitaminas, fibras (como a quitina), minerais e gorduras saudáveis.
«Neste preciso momento, a Portugal Bugs já tem uma unidade piloto para a produção de Tenebrio molitor, e esperamos que até ao final do ano já consigamos ter a nossa produção bastante automatizada. Para 2019 esperamos que o mercado já se encontre aberto para os nossos produtos alimentares, fazendo com que seja possível aumentarmos a nossa produção a nível industrial, e conseguirmos ter uma unidade de produção para as nossas alternativas alimentares», conta Guilherme Pereiras.
Empresas como a Portugal Bugs, e não só, praticam uma economia circular e apresentam um selo de sustentabilidade, pois aproveitam recursos que de uma outra forma acabariam em aterros e não teriam qualquer tipo de utilidade.
Os insetos mais consumidos são: grilos, lagartas, cigarras, gafanhotos e as larvas de besouro.
A FAO - Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, alerta para que se encontrem substitutos plausíveis às proteínas animais e uma forma de agricultura mais sustentável.
O que os insetos lhe dão pode ser comparado às proteínas que encontramos no peixe e na carne. No que toca ao gosto, as larvas do bicho-da-farinha sabem a avelãs, os gafanhotos a frango e as formigas a citrinos.
«As principais vantagens deste novo alimento são o fato da sua produção contribuir de forma mais sustentável e económica para a obtenção energia, macronutrientes, como proteína de alto valor biológico e como ácidos gordos essenciais, e micronutrientes, como o ferro e o cobre, o que poderá contribuir para redução da fome ao nível mundial. Contudo, Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (EFSA) emitiu, em 2015, um parecer que torna claro que é necessário haver mais estudos para a avaliação dos riscos associados ao consumo humano de insetos», conta Alexandra Bento, Bastonária da Ordem dos Nutricionistas, sobre as principais vantagens do consumo de insetos.
Por exemplo, comer grilos faz bem para os intestinos, pois contribui para uma alteração do microbioma humano e ajuda a reduzir as inflamações. Estes são alguns dos benefícios que a ingestão de insetos pode trazer e estão a fazer com que se olhe para estes alimentos com outros olhos.
Quem regularmente consome insetos não costuma relatar qualquer tipo de alterações gastrointestinais significativas ou efeitos colaterais deste consumo. No início pode ser algo estranho o pensamento de comer insetos mas é como costuma dizer o ditado popular: 'Primeiro estranha-se e depois entranha-se'.
«Nos últimos tempos tem aumentado o interesse mundial pela utilização de insetos na alimentação humana e animal. Apesar do consumo de insetos ser habitual em países do oriente, desde 2013 começou a aumentar o interesse pelos países do ocidente, aquando da publicação do relatório 'Insetos comestíveis: perspetivas futuras para a segurança da alimentação humana e da alimentação animal' da Food and Agriculture Organization. Este relatório destaca os insetos como uma boa alternativa às fontes tradicionais de proteína animal como resposta ao crescimento da população mundial e às questões da sustentabilidade ambiental», explica Alexandra Bento.
Sobre se aconselharia a ingestão de insetos, a Bastonária da Ordem dos Nutricionistas diz que «Esclareceria que este é um assunto em discussão na atualidade, quer no âmbito dos benefícios nutricionais quer em relação à segurança alimentar do seu consumo, pelo que serão necessários mais estudos e a posterior produção de legislação para um consumo seguro». Reforça também que são necessários mais estudos para avaliar possíveis riscos biológicos e químicos para a saúde humana.
Para além de poderem ser utilizados no fabrico de alimentos para o consumo humano, os insetos podem ser utilizados como fertilizantes para solos que são capazes de produzir milho, batatas ou tomates.

De: Andreia Filipa Rodrigues. (Publicado em "Mood Magazine").

21
Nov18

Coma Rojões e Papas de Sarrabulho em Arcos de Valdevez.


No fim-de-semana de 24 a 25 de Novembro, as mesas dos restaurantes de Arcos de Valdevez vão servir dois dos seus pratos mais típicos, os Rojões e as Papas de Sarrabulho. Para além destes dois pratos os comensais poderão também deliciar-se com a doçaria tradicional e os vinhos verdes desta região.
Estas mostras gastronómicas acontecem durante todo o ano e são uma forma de promover especialidades como a: carne cachena com arroz de feijão tarrestre, o cabritinho mamão da serra, o bacalhau à lavrador, o cozido à minhota ou o arroz pica no chão.

De: FG.
21
Nov18

El Bulo Social Club by Chakall recebe músico argentino.


Nos jantares dos dias 23 e 24 de Novembro, no El Bulo Social Club by Chakall, as suas refeições vão ter outro colorido e tudo graças ao tango de Christian Collazo.
A carreira do músico começou quando tinha apenas 17 anos, altura em que se começou a apresentar no mítico Café Tortoni de Buenos Aires, local habitualmente frequentado por Carlos Gardel, o mais conhecido cantor de tango de toda a Argentina.
Pelas 21:30, todos poderão ver e ouvir o músico que é natural de Buenos Aires mas está em Espanha já há 20 anos.

De: FG.
08
Nov18

Celebre o São Martinho com a Ervideira.


É verdade que ainda faltam alguns dias para o São Martinho e o seu típico Mangusto mas para celebrar esta altura do ano, a Ervideira preparou para si um ciclo de provas de vinho directamente da barrica.
"A lenda do São Martinho lembra-nos de que devemos estar gratos pelas coisas que temos, sobretudo pelo sol e elevadas temperaturas com que costumamos ser agraciados, todos os anos, por volta do dia 11 de Novembro. Para honrar esta celebração, queremos oferecer algo especial para os nossos visitantes se aquecerem: não uma manta, como fez São Martinho, mas uma prova directa da barrica de alguns dos nossos melhores vinhos!”, explica Duarte Leal da Costa, director executivo da Ervideira.
Estas provas, que poderão ser feitas de 09 a 18 de Novembro, vão acontecer nas suas Wine Shops, na Adega e no recentemente inaugurado Wine Lounge.

De: FG.
06
Nov18

O Maxime vai estrear um Dinner-Show.


“Madame Liz Bonne”, que vai estrear no dia 09 de Novembro, é o próximo Dinner-Show do Maxime, o principal cabaret de Lisboa.
Este Dinner-Show, que é escrito  e encenado por Roger Mor e conta com João Batista e Francisco Beatriz como principais actores, conta a história de uma inexperiente dupla de empresários da noite reúne os amigos mais íntimos para os ajudarem a tomar decisões importantes. Mas o que parecia ser um encontro de amigos vai revelar-se afinal um hilariante serão onde um jogo de intrigas e pequenas mentiras vai mostrar que só a amizade tem o poder de criar improváveis finais felizes.
Segundo Roger Mor, "Madame Liz Bonne é uma hilariante comédia que presta homenagem à revista portuguesa e ao que foram os cabarets em Portugal. É uma viagem até 1985, a um país que aprendia a viver a liberdade e que via o dinheiro chegar graças à CEE, alimentando a esperança que chegara o fim da pobreza e do atraso vivido durante décadas. É, sem dúvida, uma sátira a um país cuja a principal atração era andar nas escadas rolantes das Amoreiras, o primeiro centro comercial em Portugal.”
Este Dinner-Show, que vai acontecer das 20:30 às 23:00 e poderá ser visto até ao dia 22 de Dezembro, vai ter muita música, dança, magia e teatro à mistura.
Os bilhetes vão estar à venda na recepção do Maxime Hotel e brevemente na Ticketline. O bilhete para o show e  jantar – com uma ementa surpresa, elaborada pelo Chef Luca Bordino e composta por canapés, 4 pratos e bebidas da selecção do Maxime Restaurante Bar, tem o custo de 65€ por pessoa.

De: FG.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D